sábado, 16 de maio de 2009

Acabando com as pulgas

O controle de infestações de pulgas não se dá através da escravização delas para o uso em circos (veja postagem http://blogdaspragas.blogspot.com/2009/05/circo-de-pulgas.html ). Às vezes, é preciso muito trabalho para conseguirmos acabar com elas.

Os ovos e as pupas costumam não ser afetados pelos inseticidas. Desta forma, o sucesso do controle depende também da realização de uma detalhada limpeza do local afetado, removendo o máximo possível de pó que possa se acumular pelos cantos dos pisos e em tapetes.

Os inseticidas utilizados para o controle matarão as pulgas adultas, mas sem a remoção do pó com os ovos e pupas, uma nova população surgirá e poderá trazer problemas novamente.

Hoje em dia, existem também inseticidas reguladores de crescimento, que devem fazer parte da solução utilizada. Estes inseticidas agem na troca de carapaça dos insetos, que acontece em várias etapas do seu desenvolvimento. Impedindo que um novo exoesqueleto seja formado, eles impedem o desenvolvimento dos insetos, ajudando a impedir que as fases imaturas se transformem em pulgas adultas.

Mesmo com todas estas armas, às vezes mais de uma aplicação se fará necessária, com intervalos de 20 a 30 dias, de maneira que se quebre o ciclo de reprodução.

Em infestações muito altas, deve-se desinsetizar a área e após dois ou três dias realizar uma faxina detalhada. Caso se use aspiradores de pó, o saco utilizado deve ser jogado fora após o serviço.

Após uns vinte dias, caso as pulgas não tenham sumido ou comecem a retornar, uma nova aplicação e limpeza devem ser programadas.

É muito importante também que animais domésticos presentes na área, como gatos e cachorros, passem por um tratamento com produtos de uso veterinário ao mesmo tempo em que o ambiente está sendo tratado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário