sexta-feira, 29 de maio de 2009

Initiation With Ants

Este vídeo da National Geographic, que achei no Youtube, ilustra minha postagem http://blogdaspragas.blogspot.com/2009/05/luva-de-formigas.html, sobre a iniciação dos índios Saterés-Maués com luvas recheadas de formigas.


Dica de Leitura

Para quem se interessa por comportamento de formigas, uma sugestão de leitura:

Neste livro a autora fala sobre quase duas décadas de pesquisas dedicadas às formigas do deserto do Arizona. Ela investiga a interação entre os vários formigueiros de uma área e quais os fatores que influenciam na ação das formigas. Ela estudou o desenvolvimento dos formigueiros e as técnicas utilizadas pelas formigas na obtenção de alimentos.

Não é um livro para um público muito amplo, mas uma boa leitura para aqueles que querem conhecer as formigas mais a fundo. Também é ótimo para ilustrar métodos de pesquisa científica.

Karni Mata Rat Temple - Deshnok - Índia

Já escrevi aqui no blog sobre este templo na Índia: http://blogdaspragas.blogspot.com/2009/05/deuses-ratos.html

A área é toda dedicada aos ratos e as pessoas costumam entrar descalças e dividir alimentos com os bichinhos.

No youtube há vários vídeos mostrando o lugar; tem até vídeo clip gravado lá dentro.

Veja um dos vídeos que ilustra a cena:


Aliens e seqüestros

A mosca varejeira é responsável pela bicheira ou berne. Elas põem os ovos em nossa pele e suas larvas passam a se desenvolver dentro de nós, alimentando-se de nossa carne. São verdadeiros Aliens que podem ser vistos se movendo por debaixo de nossa pele. Para nossa sorte, elas fazem isso com mais freqüência em animais, como gado, cavalos ou cachorros.

Como estas moscas são muito grandes, normalmente é difícil para elas conseguir pousar e colocar seus ovos em um animal ou uma pessoa. Então a danadinha dá um jeito de empurrar o trabalho sujo para outra mosca. Ela captura uma mosca comum e deposita seus ovos em suas costas. Por ser menor, a mosca comum consegue pousar mais fácil na pele da vítima, e os ovos da varejeira, sentindo o calor do corpo, logo saem das costas da mosca e vão para a pele da pessoa ou do animal hospedeiro.

Ultra-som para repelir animais e insetos

Existem no mercado vários tipos de aparelhos de ultra-som para repelir insetos e roedores. Podemos encontrar dos mais simples e baratos, a serem colocados nas tomadas, até os mais caros e sofisticados, aparelhos maiores para repelir ratos e morcegos.

Agora acabo de ver uma notícia, que na Tailândia, um programador fez um software com esta mesma função, através da emissão de 5 tipos diferentes de ondas sonoras: http://info.abril.com.br/aberto/infonews/062003/11062003-9.shl

Teoricamente, estes produtos funcionam já que para muitas espécies de insetos e animais existem freqüências específicas de som que os incomodam; mas, é muito importante conhecermos algumas limitações:

- Para cada espécie animal as freqüências a serem utilizadas são diferentes, portanto não existe um aparelho mágico que servirá para todos os bichos.

- Este aparelhos só repelem os animais daquela área onde a onda chega e, portanto, eles poderão fugir para áreas bem próximas.

- Em áreas com móveis, as ondas sonoras batem nos objetos e voltam, formando áreas de “sombra”, onde as ondas não chegam e portanto podem servir de abrigo para os animais indesejados.

- Muitos animais, como os ratos, podem não usar as áreas como esconderijo, mas simplesmente como locais de passagem. Desta forma, a presença do aparelho pode não ser suficiente para inibir o animal.

Portanto, a resolução de problemas com estes aparelhos não é muito simples, e antes de sair gastando dinheiro com estes equipamentos, é bom consultar um profissional da área para ver, se no seu caso, estes aparelhos realmente são uma boa opção.

Desgraça Pouca é Bobagem

Pesquisando imagens na internet, achei esta que é no mínimo curiosa, apesar da resolução ser baixa.

A coitada da ratinha fica presa na ratoeira e ainda por cima vem um rato sacana por trás tirar proveito da situação.

Tudo bem que a reprodução dos ratos é muito intensa, mas esse aí exagerou na dose.

Símbolo da Paz

Apesar de serem considerados verdadeiros ratos com asas, uma praga que pode transmitir doenças nos grandes centros urbanos e prejudicar lavouras na zona rural, as pombas são consideradas o símbolo da paz.

Esta associação tem um fundo religioso. Quando João Baptista foi batizar Jesus, o Espírito Santo apareceu na forma de uma pomba; e após o dilúvio, Noé soltou uma pomba de sua arca e esta retornou trazendo no bico um ramo de oliveira, indicando a existência de terá firme. Por isso, a pomba ficou associada à chegada de boas novas, de um novo tempo, de prosperidade e paz.

Homem aranha é alemão!!

A teia das aranhas é um material bastante estudado e cobiçado, devido à sua combinação de elasticidade e resistência.

Pela primeira vez, pesquisadores alemães conseguiram produzir grandes quantidades de teia de aranha, através do uso de bactérias geneticamente alteradas, capazes de produzir duas das principais proteínas que constituem as teias.

Outro grande avanço deste grupo de pesquisa foi criar um tubo capaz de imitar o processo de formação da teia através destas proteínas, que precisam ser misturadas e convertidas de líquido em sólido.

O desenvolvimento destas pesquisas podem contribuir para inúmeros fins, como por exemplo, a fabricação de coletes à prova de balas muito mais leves; a fabricação de redes de pesca biodegradáveis; fios para suturas em cirurgias, que podem ser reabsorvidos pelo corpo e cordas super resistentes.

Texto criado através da notícia:

http://www1.folha.uol.com.br/fsp/ciencia/fe2904200803.htm

quinta-feira, 28 de maio de 2009

Ratos sem ossos?

Muitas pessoas acham que os ratos não têm ossos, já que são capazes de passar por frestas muito estreitas.

Realmente eles são muito hábeis neste aspecto, e até mesmo grandes ratazanas conseguem passar por vãos em baixo de portas. Mas, os ratos são seres vertebrados como nós, ou seja, possuem um esqueleto completinho. A realização de proezas que parecem mágica, passando por ralos, e pequenas frestas em portas e telhados ocorrem pelo fato do esqueleto deles ser muito flexível. Desta forma, conseguem se espremer muito para ultrapassarem os obstáculos.

Comendo quase nada

As baratas precisam de muito pouco alimento para sobreviver e podem ficar escondidas sem se alimentar por até 1 mês. Portanto, se estava pensando em pegá-las pela barriga, sua tarefa pode não ser fácil.

E se a situação apertar, elas ainda podem comer umas as outras. Além disso, costumam armazenar parte da sua urina, ácido úrico, dentro do seu corpo, que poderá lhe servir de alimento em situações extremas.

Já se realizaram experimentos onde as baratas foram deixadas sem alimento por mais de dois anos sem que nenhuma delas morresse de fome.

1 ANO DO BLOG

Minha primeira versão do Blog das Pragas, completou 1 ano em abril de 2008.

Neste período, foram quase 8.000 visitas e perto de 100 comentários com perguntas e elogios à iniciativa. Foi um bom começo!

Espero transferir o sucesso dele para esta nova versão, que por enquanto está em fase de construao, com a transferência das postagens publicadas no antigo blog.

Um grande abraço a todos.

Ataque em massa

É muito comum em residências que permaneceram vazias por alguns dias sermos surpreendidos por um ataque maciço de pulgas assim que botamos o pé para dentro. Isto ocorre, pois, com o ambiente vazio, as pupas já estão todas prontas, esperando apenas alguém para atacar. Assim, quando entramos, o calor do nosso corpo e as vibrações dos nossos movimentos desencadeiam uma eclosão em massa das pulgas adultas, que saem do casulo já morrendo de fome, loucas por um sangue novo; mas, em situações difíceis, uma pulga adulta pode ficar sem se alimentar por vários meses. Coitado de quem ela encontrar após esta dieta!

Como os pernilongos me acham no escuro?

Insetos como o mosquito da dengue e outros pernilongos localizam suas vítimas preferidas através do CO2 que liberamos em nossa respiração e da percepção de outras substâncias que liberamos em nosso suor, como o ácido láctico.

Só recentemente, os pesquisadores descobriram como os repelentes agem nos insetos evitando a sua aproximação. Todos estes produtos, como o Autan, Repelex e Off possuem como princípio ativo uma substância química chamada DEET. Ela começa a agir já a uma distância de 38 centímetros da nossa pele. Os pesquisadores conseguiram mostrar que esta substância age sobre os neurônios receptores de odores existentes nas antenas dos insetos, fazendo com que eles não consigam mais identificar as substâncias atraentes.

Esta descoberta é importante, pois só conhecendo o mecanismo de ação dos repelentes é que será possível selecionar e aperfeiçoar novas substâncias com o mesmo objetivo, criando repelentes mais eficientes.

Mais informações: http://www1.folha.uol.com.br/fsp/ciencia/fe1403200801.htm

Solucionando crimes

Para quem conhece a série de TV C.S I. esta informação não é novidade.

As moscas podem ajudar peritos criminais a elucidar crimes. A presença de suas larvas nos corpos ajudam a estabelecer há quanto tempo a pessoa morreu e o tipo de larva pode indicar em que local a pessoa foi morta.

O uso de informações da biologia e ciclo de vida das moscas, e também de outros insetos, como besouros, é uma ferramenta importante para a polícia criminal. Existem muitos estudos e experimentos voltados para este fim e, em alguns países, como nos Estados Unidos, existem fazendas e residências que servem de laboratório, apenas para simulações da decomposição dos corpos e a ação dos insetos sobre eles.

Todos Contra a Dengue

Postagem originalmente publicada na primeira versão do Blog das Pragas em 01/04/2008, quando o Rio de Janeiro vivia uma epidemia de Dengue.

Mais do que o grande número de casos registrados, o que tem chamado a atenção é o grande número de mortes, percentualmente muito maior do que na última epidemia. Talvez isto demonstre falta de informação das pessoas, que demoram a suspeitar da doença e, principalmente, falhas e demora no atendimento no sistema de saúde.

Todas as esferas do governo têm sua parcela de culpa no caso mas, acho que a maior responsável é a Prefeitura do Rio, por ter condições de acompanhar e controlar a doença mais de perto. Além disso, está evidente há anos o sistema de saúde no Rio anda muito precário.

A população como um todo também têm grande parcela de responsabilidade, já que os principais focos de criação do mosquito ocorrem dentro das casas. Muitas pessoas, enquanto não sentirem na pele as conseqüências do problema, não olham para o próprio quintal e continuam agindo como se o problema não tivesse nada a ver com elas. Todos temos responsabilidade e devemos buscar as informações necessárias para ajudar neste problema.

A partir deste link do uol é possível obter muitas informações sobre a doença, os mosquitos e a epidemia: http://cienciaesaude.uol.com.br/ultnot/2008/03/27/ult4476u24.jhtm

sábado, 23 de maio de 2009

Notícia retirada do site do UOL

Cabeça de rato provoca 'recall' de salgadinho na Coréia do Sul

A empresa que produz um dos biscoitos salgadinhos mais populares da Coréia do Sul, a Nongshim, está fazendo um "recall" do produto depois que uma mulher encontrou uma cabeça de rato dentro de um dos pacotes.
A consumidora achou estranho quando encontrou um objeto semelhante a uma pele oleosa em meio aos camarões fritos.
"Quando olhei de perto, vi os dentes e um olho. Era exatamente como um rato", disse a mulher em entrevista à mídia local.
Segundo o correspondente da BBC em Seul John Sudworth, a Nongshim, maior produtora de alimentos processados da Coréia do Sul, lançou um pedido formal de desculpas e já mandou recolher milhares de pacotes do produto das prateleiras.
"Do fundo do nosso coração, nós pedimos desculpas aos nossos clientes que vêm nos apoiando há 40 anos", disse a empresa em comunicado.
Autoridades de vigilância sul-coreanas já inspecionaram uma das fábricas da empresa na Coréia do Sul e planejam visitar uma usina na China que também realiza o processamento do produto.

Brilhando no escuro

Como os escorpiões são de hábitos noturnos, esta é a melhor hora para vê-los em ação. Os pesquisadores costumam utilizar a luz ultravioleta para encontrá-los durante a noite, já que, quando expostos a esta luz, os escorpiões ficam fluorescentes.

As Pragas no BBB 8

Até as pragas tem a sua participação no Big Brother Brasil. Na sexta-feira passada, Rafinha encontrou carunchos dentro do pacote de macarrão que iriam preparar:

http://televisao.uol.com.br/bbb8/ultnot/2008/02/22/ult5628u1861.jhtm

Este tipo de bicho é muito comum em produtos farináceos, como o macarrão, e também em pacotes de feijão e outros grãos. Estes insetos põem seus ovos no alimento, muitas vezes antes mesmo deles serem embalados ou processados. Eles se alimentam e se desenvolvem no produto até completarem seu ciclo e se transformarem nos carunchinhos adultos, que então procriarão e porão seus ovos na mesma embalagem ou em outras que você tenha dentro do armário.

Por isso, é importante que este tipo de alimento seja acondicionado em embalagens de plástico resistente ou vidro, evitando que os insetos possam circular livremente e se espalhar pelos vários alimentos guardados.

Estes carunchos só atacam os alimentos e não atacarão os armários de madeira. Esta dúvida é comum, pois eles são muito parecidos com as brocas que costumam atacar portas e outros móveis.

Febre Amarela Informações retiradas do site: http://www.cve.saude.sp.gov.br/

NOVA ÁREA PARA VACINAÇÃO DE VIAJANTES - 15/02/08

Considerando a presente situação da febre amarela no país (epizootias e doença em humanos) o Ministério da Saúde recomenda a vacinação prioritária para:

  • Indivíduos, a partir de 6 meses de idade, que se deslocam para a área atualmente afetada
    (mapa 1): DISTRITO FEDERAL, estados de GOIÁS, TOCANTINS, mato grosso do sul, noroeste de MINAS GERAIS, sudeste de Mato Grosso e noroeste de SÃO PAULO
  • Indivíduos, a partir de 9 meses de idade que se dirijam para REGIÃO DE MATA, RESERVAS E FLORESTAS dos estados de AMAPÁ, AMAZONAS, ACRE, PARÁ, RONDÔNIA, RORAIMA, MARANHÃO e MATO GROSSO.

No estado de São Paulo o Centro de Vigilância Epidemiológica recomenda vacinação prioritária para:

  • Indivíduos, a partir de 6 meses de idade, que se dirijam para os municípios da região de São José do Rio Preto, especialmente para áreas ribeirinhas e de mata (lista de municípios).

Mapa 1- Municípios com registros de epizootias prováveis ou confirmadas e
casos humanos confirmados de FAS (dez/07 a fev/08)

Boletim diário - Situação da Febre Amarela Silvestre no Brasil, 2007 e 2008. SVS/MS. Atualizado em 14/02/2008

Lista de municípios da região de São José do Rio Preto

Álvares Florence Jaci Parisi

Adolfo José Bonifacio Paulo de Faria

Américo de Campos Macaubal Pindorama

Ariranha Magda Planalto

Bady Bassitt Marapoama Pirangi

Balsamo Mendonça Poloni

Cardoso Mirassol Pontes Gestal

Catanduva Mirassolândia Potirendaba

Catiguá Monções Riolândia

Cedral Monte Aprazível Sales

Cosmorama Neves Paulista Santa Adélia

Elisário Nhadeara São José do Rio Preto

Fernando Prestes Nipoã Sebastianópolis do Sul

Floreal Nova Aliança Tabapuã

Gastão Vidigal Nova Granada Tanabi

General Salgado Novais Ubarana

Guapiaçu Novo Horizonte Uchoa

Ibirá Orindiuva União Paulista

Icém Onda Verde Urupês

Ipiguá Palestina Valentim Gentil

Irapuã Palmares Paulista Votuporanga

Itajobi Paraíso Zacaria

*Publicado na primeira versao do Blog das Pragas em 18/02/2008

Luva de formigas

 

 

Na Amazônia, os índios saterés-maués fazem um rito de iniciação masculina, no qual os jovens têm que realizar uma dança colocando em uma das mãos uma espécie de luva cheia de formigas presas a ela. As formigas ficam presas um uma espécie de palha entrelaçada, com seus abdômens todos voltados para o lado interno da luva, de madeira que possam aferroar a mão da pessoa.

Trata-se de uma experiência muito dolorosa, de demonstração de coragem e resistência.

 

 

 

sexta-feira, 22 de maio de 2009

O médico doente

Ainda sobre a febre amarela, gostaria de recomendar a leitura do novo livro do Drauzio Varella. O médico muito conhecido por suas aparições no programa Fantástico, da rede Globo, onde costuma falar sobre medicina preventiva, e autor do livro Estação Carandiru, é também professor da UNIP, onde dirige um projeto sobre plantas medicinais da Amazônia.

Neste novo livro, “O Médico Doente”, ele fala da sua terrível experiência ao ter contraído a febre amarela em uma de suas viagens, pois estava com a vacina vencida.

Trata-se de uma obra cativante e de leitura rápida, onde não só podemos conhecer um pouco mais sobre a doença como desfrutar da sua sensível visão ao trocar de papel, passando de médico a paciente.

Febre Amarela - Sintomas

A maioria das pessoas infectadas com o vírus da febre amarela desenvolve sintomas discretos ou não apresenta manifestações da doença. Os sintomas, quando ocorrem, costumam aparecer de 3 a 6 dias após a picada de um mosquito infectado. As manifestações iniciais são febre alta de início súbito, sensação de mal estar, dor de cabeça, dor muscular, cansaço e calafrios. Em algumas horas, podem surgir náuseas, vômitos e, eventualmente, diarréia. Após três ou quatro dias, a maioria dos doentes (85%) recupera-se completamente e fica permanentemente imunizado contra a doença.

Cerca de 15% das pessoas que apresentam sintomas evoluem de forma grave, com alta mortalidade. Em geral, um ou dois dias após um período de aparente melhora (que pode não existir) há reexacerbação dos sintomas. A febre reaparece e a pessoa então passa a apresentar dor abdominal, diarréia e vômitos. Os vômitos e as fezes podem ser hemorrágicos ("negros"). Surgem icterícia (olhos amarelados, semelhante à hepatite) e manifestações hemorrágicas (equimoses, sangramentos no nariz e gengivas) e ocorre funcionamento inadequado de órgãos vitais como fígado e rins. Como conseqüência, pode haver diminuição do volume urinário e até a anúria total e coma. A evolução para a morte pode ocorrer em até 50% das formas graves, mesmo nas melhores condições de assistência médica. As pessoas que sobrevivem, recuperam-se totalmente.

Febre Amarela

O mosquito da dengue

Devido aos casos de febre amarela que estão ocorrendo no país e à intensa cobertura que a mídia está dando ao problema, publicarei nas próximas semanas uma séria de notas sobre esta doença.

Vamos começar explicando que a febre amarela é causada por um vírus, que nos é transmitido através da picada de algumas espécies de pernilongos.

Nas áreas urbanas, o Aedes aegypti, é o responsável pela transmissão. É o mesmo mosquito que transmite a Dengue. Em áreas de vegetação nativa, a transmissão também pode ocorrer pelo gênero de mosquito Haemagogus. Este outro mosquito não costuma entrar em nossas casas e nem viver fora das áreas de vegetação.

A febre amarela não é transmitida em áreas urbanas no Brasil desde 1942. Estes casos recentes estão associados a áreas de vegetação natural e ao mosquito Haemagogus.

A doença pode atingir não só humanos, com também animais silvestres. Desta forma, estes animais servem de reservatório do vírus e a transmissão destes novos casos pode ter se iniciado através da transmissão dos animais para os humanos, tendo sempre o mosquito como vetor.

Podemos nos prevenir contra a febre amarela, já que existe vacina para a doença. Ela deve ser tomada por pessoas que vão viajar para áreas de risco de contaminação. Sua administração deve se dar pelo menos 10 dias antes da viagem, tempo que ela demora para fazer efeito. A vacina garante uma proteção para a pessoa por um prazo de dez anos.

Quem já foi imunizado há pouco tempo não deve tomar a vacina novamente, pois está sujeito a apresentar reações graves que podem até levar à morte. Mesmo quem nunca se vacinou, também só deve tomar a vacina se realmente for viajar para alguma área de risco, pois como a vacina é feita com vírus atenuados, existe risco de reações, como a apresentação dos sintomas da doença. Para quem não está ou estará nas áreas afetadas, tomar a vacina é se expor a um risco desnecessário, mas para quem está próximo dos focos, a vacina é o único modo de diminuir o risco de pegar a doença e de desenvolver sintomas graves que podem levar à morte.

* Publicado na primeira versão do Blog das Pragas em 19/01/2008, mas a situação ainda é muito parecida!

Não existe madeira que cupim não coma

É comum ouvirmos dizer que os cupins não gostam de madeiras amargas ou muito duras, como a peroba. É claro que, caso existam várias opções disponíveis, os cupins começarão atacando aquelas que tiverem um melhor acesso e as que forem de consumo mais fácil. Portanto, entre uma peroba e um pinho, a chance do pinho ser atacado primeiro é muito grande.

Em rodapés, por exemplo, normalmente os cupins começam atacando o cordão, que geralmente é feito de uma madeira mais fraca. Nos telhados também começam pelas ripas dos estuques ou pelas ripas das telhas e não pelas vigas centrais, que normalmente são de madeira mais nobre. Mas, em casos onde não houver opções, os cupins são capazes de atacar qualquer tipo de madeira.

terça-feira, 19 de maio de 2009

Dando continuidade à transferência

Até aqui já transferi todas as postagens de 2007 do meu primeiro Blog das Pragas.

Nos próximos dias, darei continuidade ao processo, até que este blog fique atualizado e passe a receber diretamente as novas postagens.

Participem deixando seus comentários, sugestões ou dúvidas.

Ratos sem medo de gatos

Ao chegar perto do felino, o rato não corre nem se finge de morto

O agente parasita causador da doença toxoplasmose, que pode afetar inclusive humanos, tem um ciclo de vida complicado, onde passa por diversos hospedeiros, entre eles gatos e ratos. Só que este parasita só consegue se reproduzir de forma sexuada no intestino dos felinos sendo, portanto, muito importante para eles conseguirem atingir os gatos. Desta forma, por vantagem adaptativa, com o passar do tempo, foram selecionadas cepas deste parasita que produzem um estranho efeito nos ratos. O toxoplasma consegue agir no cérebro dos ratos, mais especificamente na região da amígdala, fazendo com que eles percam o medo dos gatos. Desta forma, os ratos se aproximam dos gatos e aumentam a chance do toxoplasma ser transmitido a eles, já que os gatos não se intimidam e devoram os ratos corajosos.

Recentemente, cientistas também conseguiram produzir ratos sem medo de gatos. Introduzindo um gene da difteria nos roedoeres, alteraram a capacidade olfativa dos ratinhos, que passaram a não reconhecer o cheiro dos seus arquiinimigos. Sem esta capacidade os ratos se aproximam dos gatos, ficam curiosos com eles e até tentam interagir e brincar com os bichões.

Estas duas descobertas científicas podem ajudar a entender as estruturas e os processos responsáveis à aprendizagem e à reação de medo nos animais e também nos seres humanos. E quem sabe acabar de vez com a eterna briga entre o Tom e o Jerry.

Links:  http://blogdosbichos.blogs.sapo.pt/540479.html

http://g1.globo.com/Noticias/Ciencia/0,,MUL17468-5603,00.html

http://cienciaesaude.uol.com.br/ultnot/bbc/2007/12/12/ult4432u860.jhtm

* Postagem de 27/12/2007 da primeira versão do blog das pragas

Tipos de Pernilongo: Culex - Atrapalhando nosso sono

shotgun.jpg image by rslonik

Apesar de não estarem intimamente associados à transmissão de nenhuma doença, são eles que mais nos incomodam nos centros urbanos. Põem os ovos na água parada, não importando que seja suja ou poluída. Por isto, se criam com facilidade nas margens dos rios. Picam preferencialmente à noite. Eles começam a ficar mais ativos ao entardecer e apresentam picos de atividade no início da noite e no final da madrugada.

As baratas e a transmissão de doenças

Em grande parte, as doenças que os animais podem nos transmitir se devem ao tipo de ambiente que freqüentam, expondo-se a diferentes agentes patogênicos. As baratas, por caminharem pelo lixo, esgoto e outros locais pouco recomendados, acabam sendo transmissoras de várias doenças.

O mais comum é a causa de vômitos e diarréias; mas elas podem transmitir a lepra, difteria, tifo, meningite, pneumonia, tétano e tuberculose.

Aracne e os aracnídeos

As aranhas pertencem à classe dos aracnídeos. Este nome vem da mitologia grega.

Aracne era uma excelente tecelã, reconhecida em muitas cidades. O sucesso lhe subiu à cabeça e ela não admitia que seu talento era um dom lhe dado pela deusa Atena, deusa da sabedoria, da arte e dos trabalhos manuais. Isto irritou Atena que desafiou Aracne para ver quem fazia a obra mais bonita. Atena não conseguiu achar a mínima falha no trabalho de Aracne e, irritada, destruiu sua obra e a golpeou na cabeça. Muito triste, Aracne tentou se enforcar. Compadecida com a dor de Aracne, Atena a poupou da morte. Transformou o fio da forca em teia e Aracne, em aranha. Ela foi condenada a viver para sempre em sua teia, mas o seu talento em tecer não seria perdido.

Ratos - Super Poderes - parte 1

Os dentes dos ratos crescem constantemente, podendo chegar a 13 cms em um ano. Por isso, eles precisam sempre roer materiais mais duros para desgastá-los. Assim, é comum que roam grades, cercas, objetos de madeiras, cimento ou fiação elétrica. A dureza do dente destes animais se aproxima da do aço, o que lhes garante a capacidade de roer muitos tipos de materiais.

Paris Hilton alivia dor de ratos machos

Paris Hilton em "Pledge This!"

Cientistas americanos observaram que os ratos machos se preocupavam menos com o local de uma injeção dolorosa quando expostos a uma foto da socialite.Mas concluíram que não se trata de nenhum efeito analgésico provocado pelas curvas da garota. O mesmo comportamento foi observado quando foram expostos a fotos de gatos (felinos).

Portanto, os ratos consideram a foto sexy como uma ameaça, da mesma forma que consideram a dos gatos e, nestas circunstâncias de stress, acabam se preocupando menos com a dor que estão sentindo.

Só falta descobrir, porque isto só ocorre com os ratos machos.

Link: http://celebridades.uol.com.br/ultnot/2007/11/07/ult4371u319.jhtm

Nascem as primeiras baratas concebidas no espaço

As baratas tiveram sua lua de mel à bordo de um satélite russo e, ao retornarem à Terra, tiveram 55 lindas baratinhas. Em boletim oficial os russos informam que elas passam bem e já se sentem bem melhor, alimentando-se normalmente.

A experiência visa entender os efeitos da ausência de gravidade na vida dos insetos. Neste motel espacial também estavam roedores, caracóis, lagartas e outros bichos.

A presença de animais de pesquisa nas naves espacias não é novidade. Só fico me perguntando o que acontecerá se estes bichos escaparem, infestando a estação espacial.

Poderemos ter a primeira empresa realizando uma desinsetização no espaço.

* Post de 05/11/2007 da primeira versao do blog das pragas

sábado, 16 de maio de 2009

Pernilongos: O melhor é prevenir

O combate dos pernilongos em nossas casas não é tarefa fácil. O controle dos insetos adultos é difícil e pouco efetivo.

Desta forma, a melhor maneira de se combater os pernilongos é através do controle dos seus criadouros. Por isso são feitas as constantes campanhas para que se eliminem fontes de água parada, como pneus e pratos de vasos e se tampem as caixas de água.

Os recipientes com água parada não devem apenas serem esvaziados. Os ovos podem sobreviver mesmo no seco, grudados em suas paredes. Por isso, estes recipientes devem ter suas bordas esfregadas.

Em plantas como bromélias ou outros locais onde o acúmulo de água for inevitável, deve-se acrescentar água sanitária à água, para que os ovos e larvas não se desenvolvam. Principalmente em plantas, onde a água sanitária pode afetá-las, ela pode ser substituída por borra de café.

Para áreas maiores, como lagos, existem larvicidas biológicos, à base de um bacilo consumido pelas larvas e que as mata. Este larvicida pode até mesmo ser usado em reservatórios de água para consumo humano, sendo totalmente inofensivos para nossa saúde.

Acabando com as pulgas

O controle de infestações de pulgas não se dá através da escravização delas para o uso em circos (veja postagem http://blogdaspragas.blogspot.com/2009/05/circo-de-pulgas.html ). Às vezes, é preciso muito trabalho para conseguirmos acabar com elas.

Os ovos e as pupas costumam não ser afetados pelos inseticidas. Desta forma, o sucesso do controle depende também da realização de uma detalhada limpeza do local afetado, removendo o máximo possível de pó que possa se acumular pelos cantos dos pisos e em tapetes.

Os inseticidas utilizados para o controle matarão as pulgas adultas, mas sem a remoção do pó com os ovos e pupas, uma nova população surgirá e poderá trazer problemas novamente.

Hoje em dia, existem também inseticidas reguladores de crescimento, que devem fazer parte da solução utilizada. Estes inseticidas agem na troca de carapaça dos insetos, que acontece em várias etapas do seu desenvolvimento. Impedindo que um novo exoesqueleto seja formado, eles impedem o desenvolvimento dos insetos, ajudando a impedir que as fases imaturas se transformem em pulgas adultas.

Mesmo com todas estas armas, às vezes mais de uma aplicação se fará necessária, com intervalos de 20 a 30 dias, de maneira que se quebre o ciclo de reprodução.

Em infestações muito altas, deve-se desinsetizar a área e após dois ou três dias realizar uma faxina detalhada. Caso se use aspiradores de pó, o saco utilizado deve ser jogado fora após o serviço.

Após uns vinte dias, caso as pulgas não tenham sumido ou comecem a retornar, uma nova aplicação e limpeza devem ser programadas.

É muito importante também que animais domésticos presentes na área, como gatos e cachorros, passem por um tratamento com produtos de uso veterinário ao mesmo tempo em que o ambiente está sendo tratado.

Baratas limpinhas

As baratas, se criadas em um ambiente limpo, deixam de ser fonte de transmissão de muitas doenças. Existem baratas que são criadas dentro da maior higiene, para serem usadas em laboratórios de pesquisa ou para servirem de alimento para animais em zoológicos. É por isso que, de vez em quando, aparece algum maluco fazendo concurso para ver quem come uma barata viva.

Alimentadas com ração e água filtrada, o melhor jeito de criá-las é em caixas de papelão ou plásticas recheadas com várias camadas de papelão para acondicionamento dos ovos.

Suicida Não

É muito comum ouvirmos falar que os escorpiões, quando expostos ao fogo, se suicidam injetando-se seu próprio veneno. Isto não é verdade. O que acontece é que, sob a ameaça do fogo, os escorpiões adotam uma postura de ataque trazendo seu ferrão para frente da cabeça. Além disso, devido ao calor, ele começa a se contorcer, e pode dar a impressão que está se dando uma ferroada. A morte dos escorpiões nesta circunstância se dá devido ao calor e desidratação do seu corpo.

As Formigas e o Cravo

As formigas guiam-se e comunicam-se por cheiros. Elas produzem e liberam substâncias chamadas feromônios, que servem para sua orientação. É, por isso, que costumam andar em fila, seguindo a trilha de cheiro que outras formigas já deixaram pelo caminho.

Uma receita caseira comum, que costumamos ouvir por aí, para o controle de formigas, é o uso de cravo ou de outros produtos com cheiro forte. Ao espalharmos estes produtos pelas pias e armários, estamos apenas atrapalhando a comunicação das formigas através dos cheiros com o uso de um outro cheiro mais forte. Isto fará com que elas fiquem um pouco perdidas ou se desloquem para alguma área bem próxima, mas não fará com que sumam e trará um resultado temporário.

Brocas

    

As brocas, assim como os cupins, são insetos chamados de xilófagos, ou seja, que se alimentam de madeira.

Ao atacarem um móvel, deixam cair dele as suas fezes, que são um pouco mais finas do que a dos cupins de madeira seca. Como não são tão famosas quanto os cupins, muitas vezes são confundidas com eles. Em termos práticos não faz mal, já que o estrago e o controle são muito semelhantes.

As portas parecem ser o local predileto para o ataque destes besourinhos, mas eles também costumam gostar de prateleiras de compensado e podem atacar vários tipos diferentes de móveis. São muito comuns em enfeites e peças artesanais, atacando peças feitas com palha ou vime, além da madeira. Outro aperitivo apreciado são os livros. Elas entram pela costura e saem furando o livro da primeira à última página.

Nos livros, fica mais fácil encontrarmos as larvas destes insetos, são umas minhoquinhas brancas, parecidas com bichos de goiaba. Normalmente, são as larvas as responsáveis por todo o estrago causado nos objetos que estão sob ataque.

Açaí, caldo de cana e doença de Chagas

Em algumas ocasiões os jornais noticiam a morte de pessoas que contraíram Doença de Chagas aguda após a ingestão de açaí:

http://g1.globo.com/Noticias/Brasil/0,,MUL101996-5598,00.html

http://www1.folha.uol.com.br/folha/cotidiano/ult95u327670.shtml

A forma clássica de transmissão da Doença de Chagas é através da picada do inseto conhecido como barbeiro, que ao defecar ao mesmo tempo em que nos pica, nos transmite o Trypanosoma cruzi, que penetra em nossa pele quando coçamos a picada.

Isto tudo ouvimos bastante desde os tempos da escola, mas recentemente ficamos alarmados com estes casos de transmissão via oral, através da ingestão de suco de frutas.

Esta forma de transmissão, não é comum, mas seu conhecimento também não é recente. Desde 1966 se tem conhecimento de casos e epidemias deste tipo. Há poucos anos tivemos casos de transmissão através do caldo de cana em Santa Catarina e, agora, através do açaí, na região Norte, onde já ocorreram casos idênticos em 2001.

A presença dos barbeiros ou apenas de suas fezes no meio da cana, do açaí ou de qualquer outra fruta a ser moída pode ser um foco de transmissão da doença. A urina ou as fezes de outros animais contaminados com a doença, como ratos e gambás, ou até mesmo cães domésticos também podem ocasionar problemas.

Portanto, o essencial para se evitar problemas é a higiene. Os alimentos devem estar sempre protegidos do contato de insetos e outros animais. Além disso, o cozimento ou fervura dos alimentos impede a transmissão da doença. Sucos e poupas in natura, em regiões de risco, devem ser evitados.

Não podemos deixar de mencionar também como causa destes problemas o desmatamento das áreas naturais, que tiram o habitat dos barbeiros e os empurram em direção às cidades.

A foto que ilustra este tópico foi tirada do link: http://www.unicamp.br/unicamp/unicamp_hoje/ju/abril2005/ju283pag02.html

Lá é possível encontrar mais informações sobre este assunto.

Siriris ou Aleluias

Estes insetos que ficam voando ao redor das lâmpadas de nossas casas são os reprodutores dos cupins que, na região sudeste, começam a aparecer nesta época de agosto e setembro, podendo se prolongar até março. Eles aparecem sempre no final da tarde de dias quentes, normalmente após um período mais frio.

Todas as espécies de cupins, algo ao redor de 500 no Brasil, produzem os siriris, mas só duas ou três é que podem trazer problemas aos nossos móveis. Porém, como as grandes cidades estão infestadas destas espécies ameaçadoras, não é incomum que justamente os reprodutores delas entrem em nossas casas.

Mas não é preciso se desesperar com a presença deles. De cada um milhão, apenas um casalzinho terá sucesso em formar uma nova colônia. Mesmo assim, não custa nada fechar as janelas na hora da revoada, que não dura muito mais do que uma hora. Deixe também o menor número possível de lâmpadas acessas dentro de casa.

Quando a entrada deles for inevitável, ponha uma bacia com água embaixo da lâmpada de maneira que, quando caiam, não possam ficar circulando pela casa. A desinsetização semestral do imóvel também evita que eles possam ficar andando livremente pelo chão.

Morcegos

Ver imagem em tamanho grande

Os morcegos são mamíferos como nós, mas são os únicos que podem voar. Seus dedos das mãos tornaram-se muito grandes e unidos por uma fina membrana, que deu origem as suas asas.

Quando falamos em morcegos, logo pensamos em chupadores de sangue, mas, das mais de 1000 espécies de morcegos que existem, apenas 3 se alimentam de sangue, e, destas, somente uma se alimenta de sangue de outros mamíferos como nós.

sábado, 9 de maio de 2009

Contatos

Até aqui inseri as primeiras postagens do Blog das Pragas que se encontra no UOL: http://blogdaspragas.zip.net

Realmente, nesta nova configuração, ficará muito mais fácil procurar as postagens por temas.

Peço que participem com comentários, dúvidas, sugestões e etc.

Deixo também meu e-mail para contato: hcj@uol.com.br

Também estou no twitter: http://twitter.com/hconzojr

Me adicionem para saber das novidades no blog.

Também escrevo outro blog: http://blogdoservivo.blogspot.com onde falo sobre animais de uma maneira mais geral, mas também com espaço para outros assuntos.

Com o passar do tempo adicionarei aqui as demais postagens dos dois anos do Blog das Pragas.

Espero que gostem.

Um abraço,

Humberto

Deuses ratos

Na Índia, existe um templo, Karni Mata, dedicado aos ratos. Estes animais são venerados como deuses e recebem oferendas em alimentos, podendo se alimentar, se reproduzir e viver à vontade dentro do templo. As pessoas visitam os animais e a quantidade de ratos é tão grande que às vezes pisam nos ratos sem querer, matando o bichinho. Nestes casos é necessário que se pague o peso do rato em ouro para confortar a pobre alma do ratinho.

Existem no local cerca de 10.000 ratos e muitas pessoas entram lá descalças, pisando sobre suas fezes. Muitas compartilham o próprio alimento com os ratos, já que isto é considerado uma honraria e ingerem o alimento mesmo após os ratos terem comido e andado sobre ele.

Os inseticidas

Sprays para baratas é o que mais encontramos nos supermercados. Com cheiro, sem cheiro , sempre um que mata mais rápido que os outros e etc.

Então vamos entender um pouco sobre eles.

Existem três características básicas que podem variar nos inseticidas:

- O principio ativo que está sendo usado. Em alguns casos pode ser uma mistura de mais de um. Esta é a substância química que realmente matará as baratas. Existem várias classes de princípios ativos; cada uma com características diferentes. As duas principais são:

1) Os fosforados apresentam um cheiro mais forte, são mais tóxicos, não só para as baratas, e tem uma ação mais rápida, fazendo com que as baratas morram em poucos segundos.

2) Os piretróides são mais eficientes em expulsar as baratas de seus esconderijos e costumam apresentar uma ação mais lenta, mas mais duradoura. Aliados ao tipo de formulação, podem apresentar um grande poder residual, mantendo o local protegido por vários meses.

- Outra característica importante é o solvente utilizado. Existem inseticidas diluídos em óleo e inseticidas diluídos em água. O óleo favorece a dispersão, principalmente nos sprays, e os que são diluídos em água apresentam um cheiro mais fraco. Além disso, só os que são diluídos em água podem ser usados em plantas.

- A terceira característica dos inseticidas é a formulação. Os mais comuns em supermercados são os sprays, que garantem uma maior penetração em frestas e locais escondidos. Já os profissionais da desinsetização costumam usar pulverizadores para aplicar formulações em suspensão, emulsões ou microencapsuladas.

Aranha afrodisíaca

Calma! Leia primeiro antes de sair comendo aranha por aí.

É que existem estudos com o veneno de aranhas armadeiras, ainda em fase inicial, que indicam que uma das substâncias que o compõem pode servir para prolongar as ereções numa ação parecida com a do Viagra.

Se tudo der certo alguns homens vão poder ter poderes de Homem Aranha.

Churrasco, moscas e sacos com água

Já foi comprovado cientificamente que sacos plásticos transparentes contendo água servem para repelir as moscas.

Está técnica, muito utilizada por churrasqueiros de final de semana, não é papo de bêbado. A luz do sol que incide sobre o plástico, sofre uma refração pela água, que funciona como um prisma. A luz refratada é capaz de repelir quase 90% das moscas.

Traças de grãos

Cada vez está ficando mais comum as pessoas reclamarem comigo do aparecimento de umas pequenas mariposas que começam a aparecer principalmente na cozinha e na despensa das casas, inclusive, e às vezes principalmente, dentro dos armários.

Trata-se da traça dos grãos. Estes insetos muitas vezes vêm dentro de algum alimento que compramos. Podem se desenvolver em embalagens de macarrão, farinhas e sementes, como nozes, castanhas e etc.

Uma vez instalados dentro de casa, vão completando seu ciclo de reprodução e atacando outras embalagens.

Para a solução do problema, devemos primeiro tentar identificar quais alimentos estão sendo atacados e descartá-los. Além disso, pode ser necessário proteger as outras embalagens de grãos, sementes, macarrão e farinhas dentro de potes plásticos, evitando que as mariposas que já estão voando pelo local possam pôr seus ovos nestes alimentos e iniciem um novo ciclo de reprodução.

Por último, pode ser necessário aplicar algum inseticida no ambiente em que elas estão aparecendo. Nesta medida, deve-se ter muito cuidado, já que os principais focos estão nas áreas de alimentos. Os armários devem ser completamente esvaziados para aplicação do inseticida e os utensílios e demais materiais presentes na cozinha devem ser protegidos.

Pombos, guerra e bolsas de valores

Em 1815, durante a guerra entre os ingleses e o Império de Napoleão o duque de Wellington comandava as tropas inglesas. Uma mensagem de telegrafo chegou a Londres incompleta dizendo: “Wellington defeated...” (Wellington derrotado). A notícia causou pânico na opinião pública e a bolsa de Londres despencou. Um banqueiro chamado Rothschild que costumava utilizar pombos-correio em suas comunicações tinha alguns deles na zona de guerra e recebeu a mensagem completa: “Wellington defeated Napoleon” (Wellington derrotou Napoleão). Aproveitando-se da notícia, adquiriu muitas ações a preços irrisórios e faturou muito dinheiro.

Cupins de Solo

Estes são os cupins que causam os maiores estragos. Seus ninhos têm sempre milhões de indivíduos, e são construídos no subterrâneo, em cima de árvores ou até mesmo dentro de espaços ocos existentes dentro das paredes das casas, os chamados caixões perdidos.

Normalmente estes ninhos sempre mantêm algum contato com o solo, mas em prédios, às vezes, este contato pode ser perdido, com ninhos encontrados até em andares muito altos. Por falar nisso, os problemas em prédios, normalmente começam pela garagem ou pela cobertura. As garagens são um alvo fácil por estarem em contato direto com o solo, por onde os cupins podem chegar; e as coberturas estão suscetíveis por serem apartamentos diferenciados, com piscinas próximas do telhado, áreas que podem ser atrativas.

Estes cupins deslocam-se pelo solo e por dentro das paredes e por isso atacam somente o madeiramento que mantém algum contato com as paredes, como batentes, guarnições de portas, fundos de armários embutidos ou pisos de madeira e rodapés. Eles quase nunca conseguem ter acesso aos móveis soltos, que ficam afastados das paredes.

Os cupins de solo não soltam o pó granulado como os de madeira seca. Os sinais de sua presença são as áreas ocas ou destruídas nos móveis, que aparecem de forma muito rápida, e corredores de terra nos móveis ou pelas paredes. Estes cupins utilizam suas fezes juntamente com terra para formar estes túneis, por onde se locomovem. Também podem se deslocar por conduítes, colunas hidráulicas e molduras de gesso.

Muitas pessoas chamam estes cupins de cupim de concreto e acham que eles se alimentam das próprias paredes. Isto não é verdade. Eles conseguem se deslocar por dentro das paredes aproveitando falhas e rachaduras existentes, e com o tempo vão alargando e estendendo estes caminhos; mas não se alimentam deste material. Todos os cupins se alimentam basicamente de celulose, ou seja, principalmente madeira, papel ou tecido.

O tratamento de cupim de solo é um dos trabalhos que mais exige conhecimento técnico e experiência para que se consiga uma solução definitiva. Portanto, nestes casos, receitas caseiras e o “faça você mesmo”, dificilmente resolverão o problema e, a longo prazo, normalmente acabam agravando a situação. O melhor a fazer é chamar uma empresa especializada de quem você já tenha alguma indicação ou consultar várias delas, já que a metodologia de execução, a qualidade do serviço e os preços costumam variar muito.

Dengue

Em todo o mundo estima-se de 50 a 100 milhões de casos de Dengue por ano.

A Doença é transmitida principalmente pelo mosquito Aedes aegypti, que costuma picar mais durante o dia. O bichinho é todo listrado de preto e branco, parece um corinthiano.

Em 95% dos casos, a dengue não coloca em risco a vida das pessoas, que apresentam como principais sintomas: febre alta, dor de cabeça e muita dor no corpo. A forma mais grave, e que pode matar, é conhecida como dengue hemorrágica. Esta forma é mais comum em casos de reincidência da doença, mas também pode aparecer em quem a contrai pela primeira vez.

A dengue não apresenta um tratamento específico e sim sintomático, mas é preciso ter sempre um acompanhamento médico, já que remédios que contém ácido acetil-salicílico ou dipirona podem causar sangramentos. Os anti-inflamatórios também são perigosos. O paracetamol é o mais indicado, mas deve ter suas dosagens e horários prescritos seguidos à risca.

Circo de Pulgas

No século XIX, circos de pulgas chegaram a fazer algum sucesso. Pulgas de humanos, que são uma das maiores, eram treinadas a andarem e só pularem quando estimuladas. Elas então recebiam um tipo de coleira de fio metálico e eram apresentadas puxando carrinhos, apostando corridas e até chutando bola. Suas habilidades e força eram exploradas para a diversão do público, que precisava de lentes de aumento para poder enxergar as coitadas que faziam os objetos se moverem como que por mágica.

A partir daí surgiram também números com palhaços que faziam um espetáculo sem as pulgas, apenas fingindo que elas existiam.

Hoje em dia ainda há algumas experiências de circo de pulgas, e vídeos delas se apresentando podem ser encontrados até na internet:



Em busca do ouro

Na África existem algumas espécies de cupins que remexem o solo em profundidades consideráveis, trazendo para a parte do seu ninho acima da superfície partículas do subsolo. Só que alguns destes cupins têm certa predileção por partículas de ouro que encontram embaixo da terra.

Certas tribos africanas se deram conta deste detalhe e passaram a contar com os cupins para saber se a área é rica em ouro e então iniciar a mineração. Esta técnica continua sendo usada atualmente pelas mineradoras que, analisando os cupinzeiros, diminuem a necessidade de perfurações exploratórias.

Teste de paternidade em baratas

Nos centros urbanos, são dois os principais tipos de baratas que costumam invadir nossas residências: a Periplaneta americana, é a mais comum e bem conhecida. É a famosa barata de esgoto, grande, chegando a cerca de 5 cms e que pode voar.

A outra espécie chama-se Blatella germanica; estas são mais raras, mas quando aparecem é muito mais difícil acabar com elas. São bem pequenas, as adultas têm um pouco mais de 1 cm e os filhotes são muito pequenos, com poucos milímetros. Esta espécie é mais comum em estabelecimentos que lidam com alimentos, como bares e restaurantes. Muitas vezes as pessoas acham que estas baratinhas são filhotes das grandes, mas não são. São espécies bem diferentes, com características e comportamento distintos.

             

        Periplaneta americana                    Blatella germanica