segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Cientistas descobrem barata saltitante que lembra um gafanhoto

O bicho recém-descoberto se parece com uma barata, mas se comporta como um gafanhoto

Matéria tirada do site do UOL/The New York Time


Cuidem-se, inimigos das baratas: os cientistas acabam de descobrir uma barata que pula.
A recém-descoberta barata saltitante, que se parece com uma barata, mas se comporta como um gafanhoto, foi apresentada no periódico Biology Letters.
O inseto foi encontrado na Reserva Natural Silvermine, no Parque Nacional Table Mountain, na África do Sul. Ele vive em pastos e se alimenta de fezes de gafanhoto.
Tendo um comprimento de apenas 1 cm, é capaz de saltar até 50 vezes o tamanho do seu corpo em um único pulo.
A barata tem grandes patas traseiras que constituem 20 por cento do seu peso corporal. Seus olhos saltados possibilitam que ela tenha um amplo campo de visão, útil para os pousos, contou um dos autores do estudo, Mike Picker, entomologista da Universidade da Cidade do Cabo.
"O joelho das pernas traseiras contém a proteína elástica conhecida como resilina", disse ele. "Isso provavelmente restaura a forma da perna, que se dobra quando o inseto se prepara para saltar".
A barata saltitante "vai além dos gafanhotos, que só conseguem saltar 20 vezes o comprimento de seu corpo", disse Picker.
Ele e o coautor da pesquisa, Jonathan F. Colville, entomologista da mesma universidade, descobriram acidentalmente a barata em 2006, ao observarem larvas de formigas.
A barata pula ou salta durante 71 por cento do tempo. No restante do tempo, ela passeia por aí como uma barata comum.
Picker especula que possam existir outras espécies de baratas saltitantes que ainda não foram descobertas.

sábado, 10 de dezembro de 2011

A perigosa formiga de veludo

Matéria retirado do site: http://domescobar.blogspot.com
A formiga de veludo - na verdade, vespa de veludo – recebe este nome devido as cerdas que cobrem seu corpo e porque se assemelham com uma formiga. As fêmeas não voam e são frequentemente encontradas vagando na terra, assemelhando-se ainda mais com as formigas. Duas variedades comuns incluem a Dasymutilla gloriosa e a Dasymutilla magnifica.
As formigas de veludo variam em tamanho de 1 / 8 de polegada a uma polegada, com grande variação dentro das espécies. Elas se parecem com bolas de algodão em miniatura.A variedade Dasymutilla gloriosa, tem sido descrita como uma "semente de creosoto com pernas", devido à sua cor branca,cerdas da cor vermelha, laranja, amarela, preta ou branca, as cerdas cobrem todo o corpo. Os biólogos chamam esse tipo de coloração "aposemática", e eles usaram o termo para se referir às cores de aviso bem visível de animais predadores que devem ser evitados.Os machos têm asas, mas não picam, enquanto as fêmeas têm ferrão, mas lhe faltam asas. O tegumento, que reveste a parte externa do corpo funciona como uma armadura e só pode ser penetrada com muita dificuldade.
Mais de 150 espécies de formigas de veludo ocorrem em todos os Estados Unidos, sul do Canadá e México. Existe apenas cerca de um terço das espécies conhecidas de ambos os sexos, enquanto outro terço são conhecidos apenas os machos, e um terço final, apenas as fêmeas. Há uma clara possibilidade de que muitos destes machos e fêmeas pertencem à mesma espécie, mas por causa do dimorfismo sexual acentuado, não é tão evidente que os machos pertencem as fêmeas e vice-versa. Pelo menos três dezenas de espécies habitam o estado do Arizona. Elas vivem em todas as partes do deserto quente e seco do semi-árido.
As formigas de veludo estão ativas durante o dia, e elas podem ser os primeiros insetos a sair na parte da manhã e os últimos a voltar para o abrigo na noite. Elas se refugiam das temperaturas elevadas do solo do meio do dia cavando sob os escombros ou subindo em plantas. O néctar é a sua comida preferida. As formigas são ativas de abril a novembro, dependendo do clima local.
Ocasionalmente, ocorrem aglomerações de formigas para corte e acasalamento. Um agrupamento, no Arizona continha um número estimado de 6000 indivíduos num raio de 1500 metros quadrados. Mais frequentemente, entretanto, as formigas são solitários com os machos geralmente voando baixo junto ao chão procurando as fêmeas errantes. Os biólogos não têm ainda idéia de como os machos encontram as fêmeas, mas acreditam que a visão e os feromônios desempenham um grande papel. Após o acasalamento, as fêmeas correm a procura de câmaras pupais de vespas ou abelhas. Depois de encontradas, elas vão fazer um ninho e usar seu ovipositor para colocar um ovo em cima ou próximo do anfitrião.
Uma larva vai emergir do ovo, se alimentando de seu hospedeiro, e crescerá para o tamanho máximo em um dia. O local original tornar-se-á então um local para construir um casulo para a sua pupa. Alguns adultos emergem no verão, enquanto outros hibernam no estado de pupa ou pré-pupa.
As primeiras formigas veludo conhecidas foram encontradas em um âmbar de 40 milhões de anos encontrado na República Dominicana. Quando molestados, e durante o acasalamento, as formigas veludo produzem um rangido audível. Elas também são conhecidas como assassinas de vaca ou assassinas de mula por causa de sua picada extremamente dolorosa. Como todas as vespas, elas podem picar várias vezes. Por causa de seu exoesqueleto tipo armadura e picada dolorosa, poucos ou nenhum animal se alimentam destas vespas.

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Ratos libertam companheiros em uma demonstração de empatia


Matéria extraída do site da Folha de São Paulo


REINALDO JOSÉ LOPES

EDITOR DE "CIÊNCIA E SAÚDE"


Parece uma versão (menos sombria) do livro "A Revolução dos Bichos", mas aconteceu de verdade, na Universidade de Chicago: ratos que aprenderam a libertar seus companheiros da prisão.
Ou, ao menos, de gaiolinhas de acrílico onde tinham sido colocados, num experimento do Departamento de Psicologia, coordenado pela pesquisadora israelense Inbal Ben-Ami Bartal.
A pesquisa foi descrita na revista "Science" desta semana. O espírito libertador dos ratinhos surpreende porque, para os cientistas, ele pressupõe uma forma de empatia --a capacidade de se colocar na posição de outro indivíduo e tentar ajudá-lo.
Os cientistas usaram cerca de 30 bichos no experimento. Cada par de "participantes" era colocado no mesmo recinto durante duas semanas. Depois, um dos bichos era colocado na gaiolinha, enquanto o outro podia interagir com a "cela".
Após cerca de uma semana, quase todos os bichos aprendiam que dava para abrir a portinhola e permitir que o parceiro escapasse.
Ao que tudo indica, eles não fuçavam na gaiola por pura curiosidade, já que jaulas vazias ou com brinquedos dentro não despertavam o mesmo interesse nos bichos.
O mais surpreendente veio quando a comparação entre uma gaiola com o companheiro e outra com uma barra de chocolate.
Nesse segundo caso, os roedores não só abriam ambas as gaiolas com igual rapidez como também comiam só parte da guloseima, deixando o resto para o ratinho recém-libertado.
Os pesquisadores também verificaram que o rato prisioneiro "pedia socorro", usando chamados ultrassônicos de alerta que são típicos da comunicação da espécie.

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Aranha reveste sua teia com substância tóxica para sua autodefesa

Notícia retirada do Jornal da Ciência


As aranhas da espécie Nephila antipodiana possuem mecanismos para se defenderem de formigas invasoras e saqueadoras de seu alimento. Este tipo de aranha é muito encontrado em florestas tropicais de países como Indonésia, Tailândia e Filipinas, utilizando mecanismo que evita serem atacadas por formigas.
Vários insetos não toleram a substância 2-pirrolidinona que é secretada por este tipo de aranha, “lambuzando” todos os fios da teia, repelindo e impedindo que alguns insetos como formigas, traças e até mesmo lagartas cheguem até ela. A pesquisa foi publicada na Proceedings of the Royal Society B.
O estudo mostrou que as formigas se negavam a passar por fios contendo a 2-pirrolidinona. Os cientistas acreditam que elas reconheçam a substância, pois ela faz parte da composição química de alguns venenos encontrados em várias espécies de formigas.
Especialistas afirmam que a 2-pirrolidinona provoca pânico em formigueiros, pois esta substância é usada por elas mesmas em situações de ataque, funcionando como um feromônio de alarme. Apesar desta substância não matar, funciona como um “aviso”, assim como o spray de pimenta utilizado por policiais no Brasil e em alguns países cujo princípio ativo é a capsaicina, uma molécula retirada das pimentas causando grande ardor e queimação nos olhos.
A pesquisa é do biólogo Daiqin Li da Universidade de Cingapura

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Diferentes tipos de baratas

 

Por Karlla Patrícia do Diário de Biologia
Quem imagina que só existem aquelas baratas de casa, nojentas que vivem nos esgotos se reproduzindo e causando doenças está enganado! O mundo das baratas é incrível. Conheça aqui algumas baratas que podem mudar todos os seus conceitos sobre estes bichinhos simpáticos.
Barata verde:
As baratas do gênero Panchlora (você pode ler as Panchloras AQUI), comumente chamadas de baratas verdes, baratas cubanas ou baratas da banana são conhecidas por sua cor esverdeada, o que se torna único entre todas as baratas. Os indivíduos jovens, porém podem assumir cores pardas. São baratas com ampla distribuição nas Américas inclusive aqui no Brasil.

Barata besouro:
Uma grande parte das baratas costumam imitar besouros. O termo mimetismo batesiano se aplica, quando um animal inofensivo imita outro animal nocivo para não ser predado. Não se sabe se é o que acontece aqui, mas alguns gêneros de baratas (e não são poucas) são muito semelhantes a joaninhas e outros besouros crisomelideos como as Prosoplecta e as Phoraspsis. Algumas se assemelham tanto que podem até nos enganar. São conhecidas como baratas besouros, mas de besouro só tem a cara!

Barata rinoceronte:
Algumas espécies de baratas ostentam chifres e crenulações no pronoto ( aquela placa da região dorsal da barata que encobre parcialmente ou totalmente a cabeça). A mais conhecida é a barata rinoceronte Macropanesthia rhinoceros. Os machos destas baratas usam as crenulações para brigarem nas disputas por fêmeas. Porém somente o macho é que possuem estas crenulações para brigarem.

Baratas cascudas:
Algumas baratas são realmente grandes. Um exemplo são as baratas do gênero Blaberus, chamadas de baratas cascudas que costumam ser utilizadas como bichinhos de estimações e ás vezes alimento para outros animais! São conhecidas pelo seu tamanho extremo podendo chegar até 8cm! Outra grandona é a barata do gênero Hedaia que possui esse nome devido a sua textura semelhante a uma madeira. Esta barata pode chegar a 6cm.

Barata trilobita:
Algumas baratas se assemelham com os antigos arthropodas já extintos denominados de trilobitas. Estas baratas conhecidas como “baratas trilobitas” são espécies que se enterram na areia. Algumas ficam tanto na areia que os sedimentos chegam a ficar incrustados em seu exoesqueleto. Um exemplo é o gênero Calolampra e Polyzosteria.

Barata bombardeio:
A espécie do gênero Platyzosteria encontrada na Austrália, possui um comportamento de defesa semelhante ao besouro bombardeio. Quando ameaçada, ela empina o abdômen para cima e espirra uma substância caustica que se atingir as mucosas pode causar até cegueira temporária. Ai ai ai….

———————————————–
Este post foi uma fantástica contribuição do Biólogo Flávio Matakanskas. Ele leu um artigo sobre baratas e achou que vocês iam gostar. O flávio trabalha no setor de Entomologia do Museu de Zoologia da USP, onde conduz um estudo com baratas. Adorei, obrigada Flávio!

sábado, 15 de outubro de 2011

Pombos no Jô Soares

Veja a entrevista de Mônica Schuller no Programa do Jô falando sobre pombos:


Eles podem transmitir mais doenças do que os ratos.

Curtam a página do Blog no Facebook, é só clicar no botão abaixo:

domingo, 9 de outubro de 2011

Você prefere larvas salgadas ou doces?



Aproveitando que no artigo anterior coloquei um vídeo sobre este assunto, segue agora uma matéria da Scientific American Brasil



Você sabia que 80% dos seres humanos comem insetos?


Sei que existe uma enorme variedade de artigos explicando todas as vantagens de consumir insetos. Várias pessoas na Europa e nos Estados Unidos e no Brasil estão tentando reverter a essa profunda aversão à entomofagia. Seus argumentos são bastante sensatos, vão desde o respeito pelo ambiente (gafanhotos são 5 vezes mais eficientes na conversão alimentar à proteína do que as vacas) e que 80% do mundo come insetos - o que há de errado conosco?



Quando visitei a China, em uma expedição à caça fósseis, estava preparada para comer pâncreas e tripas com muito coentro. Eu não vacilei quando tive a oportunidade, e comi todo o camarão que pude (e quando digo todo, quero dizer, com cabeças, cascas, pernas, antenas e olhos) que pareceu como o amendoim em minha boca. Mas tinha pesadelos, literalmente, sobre comer insetos durante toda minha viagem. E o cheiro dos vermes-de-seda fritos dos vendedores de rua não me ajudava. Eu simplesmente não podia pensar em comê-los que meu estômago se revirava.Então é aqui onde eu acho que os entomofagistas devem ficar atentos. Todos já ouviram falar de pornografia de alimentos? Estou falando sobre fotos sedutoras de alimentos que forram as páginas das revistas e os canais da televisão, algumas até podem fazer você salivar sobre coisas que você nunca sonhou... Torta de abobrinha? Parece ótimo. Brownies de feijão? Com todo certeza!Há algumas fotos de insetos como alimentos que podem mudar o rumo da alimentação para sempre! Existe uma foto de um muffin com um gafanhoto segurando uma suculenta framboesa, será que isso pode atrair novos adeptos a esse tipo de alimentação?Pessoalmente, eu só conseguiria dar uma mordidinha na beradinha do muffin, bem longe do gafanhoto!Essa é a confiança dos japoneses para fazer larvas parecerem apetitosas, eles sabem que o poder da propaganda é gigantesco. Se os ambientalistas e os fãs da entomofagia querem que o resto do mundo entre nessa “onda”, eles precisam aproveitar o poder da fotografia e propaganda de uma “boa comida”.

Clique no botão abaixo para ser informado sobre as novidades do blog em seu mural do Facebook:



sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Comendo Insetos

Achei bem legal a entrevista deste professor da Universidade Estadual de Feira de Santana no Programa do Jô, falando de comidas feitas com insetos.
É imperdível ver o Derico comendo larvas e grilos.





Aproveite e curta a página do Blog das Pragas no Facebook. É só clicar no botão abaixo:




sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Bichos Sinistros no facebook



Continuando com os preparativos para o lançamento do livro Bichos Sinistros, acabo de criar uma página para o livro no facebook: www.facebook.com/bichossinistros
Nela vocês poderão ver qualquer notícia em relação ao livro, deixar seus comentários, fazer perguntas e etc.
A página também terá chamadas para novos artigos aqui do Blog das Pragas.
A partir de hoje, o Blog das Pragas terá no seu canto direito uma caixa do facebook, onde vocês poderão clicar em Curtir a página e acompanhar as últimas inserções da página no facebook.
Então, se você curti o Blog ou o livro clique aqui:


E mais uma vez não se esqueçam. O lançamento será na Livraria Cultura do Shopping Villa-Lobos, em São Paulo, no dia 01/10/2011 das 15 às 18 horas.
Aguardo todos vocês.

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Como as baratas matam umas as outras depois de envenenadas?


Como as baratas matam umas as outras depois de envenenadas?

“É inevitável não elogiar sua performace neste blog. É original e profissional ao mesmo tempo… Então… Compramos aquele pesticida para baratas em que elas contaminam as outras baratas do ninho. Queria saber como isso acontece?” Leonardo e Lia.
Léo e Lia, obrigada pelas palavras de incentivo. Sobre baratas, não importa o que você faça. Elas são insetos muito nojentos e se você viu uma barata na sua casa, acredite: existem centenas (ou até milhares) delas escondidas entre suas coisas. Para evitar a luz do dia (ou artificial) elas encontram esconderijos que você nem imagina. Barata é um bicho persistente!
Baratas são onívoras, ou seja, elas comem de tudo. Experimentam qualquer pedaço de matéria orgânica por perto. A limpeza do ambiente é uma forma de negar alimento e abrigo para essas “pragas”. Baratas gostam de ambientes escuros, úmidos e os mais sujos possíveis, por isso, frequentam esgotos e encanamentos durante o dia e a noite passeiam felizes nas suas panelas, pratos, escovas de dente. Só de falar dá nojo! Mas não adianta comprar o pesticida mais caro e eficaz se higiene do ambiente é precária.
Uma forma interessante e eficaz de se livrar dessas pragas, é causando um envenenamento que não seja instantâneo. O inseticida citado pelos leitores são os conhecidos como “iscas” que podem ser vendidos de várias formas: em gel, em pó ou sólidos. Todos possuem um grande atrativo: comida fácil! Como já dito, é importante que o veneno não seja instantâneo pois a barata precisa comer a isca e ter tempo para retornar para o ninho, onde se abrigam não só outras baratas, mas também seus ovos e ninfas.
Uma coisa que poucas pessoas sabem, é que as baratas além de nojentas são canibais, ou seja, devoram rapidamente um indivíduo da mesma espécie que tenha morrido por perto. Esse comportamento também ajuda na eficácia das iscas. O simples contato ou a ingestão do veneno causa uma contaminação imediata, voltando para o ninho de origem, a barata contaminada não resiste e morre por envenenamento, rapidamente vira comida das outras que se tornam susceptíveis a sofrer o mesmo destino. É um efeito dominó. Se uma barata comete o erro fatal de comer a isca envenenada, o seu ninho está comprometido!
As baratas entram na isca e são envenenadas.
Quando morrem, as outras baratas (canibais) se alimentam dos restos mortais e também ficam envenenadas.

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Lançamento do Livro Bichos Sinistros

Tenho a honra de convidar a todos os leitores do Blog para o lançamento do meu livro Bichos Sinistros.

O lançamento será na Livraria Cultura do Shopping Villa-Lobos onde haverá uma seção de autógrafos.

Será no dia 01/10 às 15 horas. Compareçam.

!cid_image002_png@01CC67CF

Mesmo quem gosta de bichos, não fica nada contente quando ratos, baratas, aranhas ou escorpiões entram em sua casa. Mas você sabe por que eles gostam de nos visitar? Sabe o que podemos fazer para evitá-los?

Neste livro, vamos conhecer melhor estes “bichos sinistros”. Saber onde vivem, como vivem, que doenças podem nos transmitir e também muitas curiosidades e informações surpreendentes. Vamos ver que os ratos podem entrar em casa pelo vaso sanitário, que as baratas podem sobreviver por uma semana sem sua cabeça, que do veneno dos escorpiões poderão surgir remédios para várias doenças e porque as aranhas não ficam presas em suas próprias teias.

Bichos Sinistros é um livro para curiosos de todas as idades, que agradará os que gostam de bichos e também os que morrem de medo.

terça-feira, 30 de agosto de 2011

Super Ratos – O Clip

Já que acabei de falar de super ratos na postagem anterior, nada mais oportuno do que ver este clip agora:

Super Ratos

image

Hoje em dia, todo o controle de roedores é feito através de raticidas anti-coagulantes. Estes raticidas, impedem a formação da vitamina k1, que é responsável pela capacidade de coagulação sanguínea. Sem esta vitamina, os ratos acabam morrendo por hemorragia interna, que são frequentes no pulmão e no intestino.

Cientistas europeus descobriram uma espécie de rato que vive na Argélia que é resistente a este tipo de veneno. O problema é que este rato argelino, tem conseguido cruzar com os camundongos europeus, que rapidamente também estão se tornando resistentes aos venenos.

Hoje em dia camundongos resistentes já são bastante comuns na Alemanha e na Espanha e a tendência é que rapidamente se espalhem por todo o mundo.

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Dormindo com o inimigo

Parasita faz rato se sentir sexualmente atraído por gatos

image

Normalmente, a urina dos gatos serve como repelente de ratos. Ao sentirem o cheiro da urina dos gatos, os ratos se afastam, evitando encontros desagradáveis.

Mas os ratos podem ser infectados por um parasita chamado Toxoplasma. Só que este parasita só se reproduz no intestino dos gatos.

Desta forma, cientistas da Universidade de Stanford, nos EUA, descobriram que ao infectar os ratos, o Toxoplasma, faz com que eles passem a se sentir atraídos pelos gatos, ou pelo menos deixem de se sentir repelidos pelo cheiro da urina deles.

Com esta estratégia, o parasita garante que o rato se aproxime dos gatos e possa virar sua refeição, levando-o diretamente para o local onde conseguirão se reproduzir, o intestino dos gatos.

segunda-feira, 13 de junho de 2011

Como começa um formigueiro?

image

Esta é mais uma matéria que tirei do Diário de Biologia, que vez ou outra trás alguma coisa relacionada com nossas pragas.

Mais uma ótima postagem da Karlla Patrícia

“Como começa a formação de um formigueiro?” Lorrane M. de Sá

“Me disseram que a formiga saúva é a mesma Tanajura. Mas a tanajura tem asa e a saúva não… A pessoa está certa?” A. Carlos do Carmo

“Por que depois de relâmpagos e trovões, quando o Sol está firme, aparecem as formigas Tanajuras, aquelas formigas com asas?” Tarcísio Miguel

Queridos Lorrane, A. Carlos e Tarcísio, são popularmente chamamos de “saúva” as diversas espécies de formigas do gênero Atta. Conhecidas também como formigas cortadeiras por cortarem folhas que são levadas para o formigueiro, para servirem de substrato para o cultivo do fungo do qual as formigas se alimentam. Como toda formiga, as saúvas possuem uma organização social incrível, dividida em castas: as operárias que são fêmeas estéreis, os machos menores que a rainha, chamados de bitus e a nossa querida rainha, a famosa tanajura ou Içá!

As tanajuras são bem maiores do que as operárias e juntamente como os bitus são criadas com muito carinho se alimentando do bom e do melhor dentro do formigueiro. Os dois grupos fazem o voo nupcial que acontece como uma revoada em dias claros, normalmente uma vez no ano no começo da estação chuvosa e dura pouco mais que uma hora. Uma chuva volumosa com direito a raios e trovões é como um aviso para a saída dos grupos. Para cada fêmea em vôo, há pelo menos sete machos. Os machos fecundam as fêmeas durante o vôo e com a conclusão do ato, sua missão está cumprida e eles morrem logo depois. Uma revoada pode contar com três mil tanajuras e vinte mil bitus. Essa proporção espera garantir a fecundação de todas elas. Na confusão, vários machos podem cruzar com uma mesma fêmea.

O formigueiro começa quando depois de fecundadas, as tanajuras, caem no chão, perdem suas asas e escavam a primeira “panela”, fundando assim, um novo formigueiro. A futura rainha traz no aparelho bucal uma bolota de fungo de seu formigueiro natal e a regurgita no novo sauveiro, irrigando-a depois com suas fezes. O seu papel é o mais fundamental na colônia: somente ela põe os ovos dos quais nascem todas as outras, isto é, ela é a “mãe” do formigueiro controlando através de hormônios, toda formação das operárias que dedicarão toda sua vida ao sucesso do formigueiro. Apenas cerca de 0,05% das tanajuras fecundadas chegam a fazer as escavações e demais tarefas para a fundação de um novo formigueiro. A maioria é devorada por aves em pleno vôo nupcial.

As tanajuras têm o abdômen mais desenvolvido para abrigar os óvulos e armazenar os espermatozóides.

Saída do ninho de origem. Geralmente existem 7 machos para cada fêmea.

Depois de fecundada a fêmea cava o solo para iniciar a formação do novo ninho onde ela será a rainha.

Elas trás uma porção de fungo do ninho de origem. Esta será a base da fazenda de fungos do novo formigueiro!

Ovos primeiros ovos são origem a operárias que trabalham duro para o crescimento do formigueiro.

sexta-feira, 10 de junho de 2011

Sexta foi o dia dos pernilongos no jornal

Fechando a série, nesta sexta o Jornal da Record falou sobre os pernilongos e deu dicas para evitar ou controlar as pragas domésticas.

Parabenizo a emissora e a equipe do jornal pela série, que considerei muito bem feita.

Jornal da Record - Baratas e Formigas

image
Quinta-feira foi o dia das baratas e formigas no Jornal da Record.
Vejam o Vídeo e deixem seus comentários:

quinta-feira, 9 de junho de 2011

Pombas no Jornal da Record

image

No terceiro dia da séria sobre pragas usbanas o jornal da record apresentou uma reportagem falando de pombas e andorinhas.

Vejam o vídeo:

quarta-feira, 8 de junho de 2011

Vento e Cupins derrubam árvores em São Paulo

image

Nesta terça feira à noite, ventou muito em São Paulo, com muitas árvores caindo, deixando bairros sem luz e causando, inclusive vítimas fatais.

No SPTV primeira edição, transmitido nesta quarta na Rede Globo, levantou-se a questão de que muitas árvores cairam por estarem atacadas pelos cupins; e foi cobrado da prefeitura uma avaliação das árvores da cidade para saber quais estariam comprometidas.

Gostaria de discultir esta questão mais a fundo, pois com este argumento do ataque por cupins, muita gente quer que árvores sejam removidas de suas ruas, muitas vezes sem necessidade.

É lógico que algumas árvores precisam ser retiradas, mas é necessário que se faça uma avaliação rigorosa, por pessoas capacitadas.

Na minha opinião devemos pensar além e tentar entender porque as árvores estão sendo destruídas pelos cupins.

Na natureza o cupim convive em harmonia com as árvores, comento galhos danificados e pedaços das raízes que estão mortos, mas eles nunca irão derrubar uma árvore sadia.

Na cidade o que acontece é que a própria prefeitura e a eletropaulo realizam as podas em épocas inapropriadas e de forma incorreta, muitas vezes transformando as árvores em palitos verticais, com a remoção de quase toda a copa.

Estas podas acabam enfraquecendo as árvores e deixando elas doentes. Desta forma, os cupins passam a ver aquela árvore como uma árvore que está morrendo e conseguem tomar conta da situação. Muitas vezes a copa volta a crescer, mas agora os cupins já ganharam a guerra e vão destruindo a árvore por dentro.

Portanto, além de um estudo detalhado das árvores da cidade, é preciso uma reformulação na rotina dos cuidados e manutenção, para que as árvores possam viver saudáveis por mais tempo colocando um pouco de verde em nossa cidade tão cinza.

Cupins no Jornal da Record

image

Dando continuidade à série especial sobre pragas urbanas, nesta terça o Jornal da Record apresentou uma reportagem sobre os cupins.

Vale a pena conferir o vídeo:

segunda-feira, 6 de junho de 2011

Pragas Urbanas no Jornal da Record

Durante toda esta semana o Jornal da Record apresentará materias falando sobre as pragas urbanas.

Nesta segunda a reportagem foi sobre os ratos. Vejam o vídeo:

Amanhã, terça, o tema será os cupins. Estarei acompanhando.

domingo, 5 de junho de 2011

Lesmas

image

As lesmas costumam atacar as plantas em nossos jardins, causando danos expressivos e dificultando o desenvolvimento de algumas espécies.

Os principais sinais de sua presença são as folhas das plantas comidas e os rastros de muco que costumam deixar pelo jardim.

Muita gente já utilizou técnicas de tortura contra estes bichos, colocando sal em cima deles e se divertindo com o processo de desidratação e morte que ele causa.

image

De uma forma mais sofisticada, alguns já desenvolveram algumas armadilhas que são verdadeiras receitas de drinks para lesmas. Mistura-se cerveja com sal, ou, às vezes, miolo de pão com cerveja e sal. A cerveja atrai as bichinhas e, às vezes, até os vizinhos. Só que as coitadas, ao invés de ficarem barrigudas, desidratam e murcham por casa do sal. Cascas de legumes e folhas de verdura também servem como atrativo e podem ser usados como iscas.

De maneira mais profissional, existem iscas específicas para o controle das lesmas. Trata-se de um granulado que deve ser espalhado nas áreas do jardim que elas costumam aparecer. O segredo do sucesso está em acertar o dia para colocar a isca. As lesmas costumam aparecer mais em noites quentes e úmidas e são nestes momentos que a iscagem dá mais certo. Mas também é importante que não chova, para que a isca não seja perdida. Portanto, temos que escolher um dia quente e úmido, mas sem chuva. Outra opção é em um dia quente, regar o jardim à tarde e no final do dia, colocar a isca.

terça-feira, 26 de abril de 2011

Animais nas Guerras

Comecei a ler um livro bem interessante, que fala sobre a importância dos animais durante as guerras.

O livro, da jornalista Priscila Gorzoni, da editora Matrix, fala do papel dos cavalos, cobras, falcões e muitos outros. Entre eles vários que são temas do Blog das Pragas: ratos, baratas, pulgas, pombos e etc.

Aqui no Blog, já falei da importância das pragas nas guerras em dois textos:

Pombos correio

Bombas de Pulgas

Assim que eu ler o livro, irei falando de outras pragas também.

quarta-feira, 6 de abril de 2011

Enchentes no Paquistão provocam espetáculo de teias de aranha em árvores

As enchentes que atingiram algumas áreas do Paquistão no ano passado acabaram gerando um efeito inesperado: um espetáculo de teias de aranha em árvores.
Por causa da alta das águas, milhões de aranhas procuraram locais mais altos como abrigo.

Devido à escala das enchentes e ao fato de que o nível da água levou muitos meses para baixar, diversas árvores ficaram completamente envoltas em teias de aranha.
A população desta parte da província de Sindh nunca havia visto este fenômeno antes, segundo relatos feitos ao Departamento para o Desenvolvimento Internacional do governo britânico.
Os moradores das regiões atingidas também afirmam que há menos mosquitos que o esperado.
Acredita-se que os mosquitos tenham ficado presos nas teias, reduzindo o risco de malária, algo que seria positivo para a população local, que enfrentou tantas dificuldades após as enchentes.

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Governo britânico adota gato para afugentar ratos da residência oficial

Do UOL Notícias*

  • Claire Horton, presidente da Battersea Dogs and Cats Home, em Londres, segura o gato Larry antes dele ser entregue à residência oficial do governo britânico

Um gato tornou-se o mais novo aliado do governo britânico no combate aos "inimigos" do primeiro-ministro David Cameron. Larry, um gato de quatro anos de idade, se mudou para a residência oficial do primeiro-ministro, no número 10 da Downing Street, em Londres, para tentar repelir os ratos que foram vistos rondando o local.
Larry foi adotado do Battersea Dogs and Cats Home, em Londres, e é o mais recente animal de estimação indicado a "caçador de ratos" pelo poder britânico.
Segundo a agência de notícias Associated Press, a chegada do animal foi acompanhada pelos olhares de vários ratos na região de Downing Street. A infestação de ratos é um problema comum em Londres, onde as latas de lixo destampadas que ficam nas calçadas servem como fonte de alimentos aos animais.

* Com informações da AP

E olha que o governo britânico é sócio de uma das maiores fabricantes de raticida do mundo!

Agora só precisam ficar de olho em não causar um surto de pulgas!