quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

Ratos com parceiras são menos vulneráveis às drogas





Laços afetivos diminuem o prazer sentido com substâncias químicas
 
Vários estudos têm mostrado relação entre ausência de vínculos afetivos e maior vulnerabilidade à dependência química. Agora, uma pesquisa com ratos silvestres expostos à anfetamina mostra que os animais com parceiras sexuais fixas procuram repetir as doses da substância com menor freqüência que os roedores “solteiros”.

A droga ativa a produção de dopamina, neurotransmissor associado ao prazer. Segundo a autora do estudo, a neurocientista Kimberly Young, da Universidade do Estado da Flórida, o cérebro dos ratos em relações estáveis tinha menos receptores ao composto químico. O experimento mostra que os laços afetivos nos deixam menos suscetíveis ao prazer obtido com as drogas.

Notícia retirada do site da revista Mente e Cérebro