quinta-feira, 22 de março de 2012

Os machos das moscas, rejeitados pelas parceiras, afogam suas magoas no álcool




MATÉRIA RETIRADA DO PORTAL G1
Uma mosca entra no bar, chama o garçom e diz: “para matar a tristeza, só mesa de bar". A cena é surreal, mas tem algum fundamento científico – exceto pelo fato de que ainda não há estudos mostrando que moscas sejam fãs de Reginaldo Rossi.
Mas há sim uma pesquisa que mostra que o álcool é uma saída, ou pelo menos um consolo, para a dor de cotovelo na espécie  – onde quer que esteja o cotovelo de uma mosca.
Depois, os insetos puderam optar entre dois tipos de alimentos – com ou sem álcool. Foi quando os cientistas descobriram que as moscas rejeitadas gostam da bebida alcoólica – bem mais do que as que conseguiram sexo.
A experiência que chegou a essa conclusão foi feita nos laboratórios da Universidade da Califórnia em São Francisco, nos EUA. As moscas macho foram separadas em dois grupos – um deles foi colocado ao lado de fêmeas virgens, que permitem a cópula, e o outro teve contato com fêmeas arredias.

Acontece que o sexo eleva o nível de uma substância chamada “neuropeptídeo F”, ligada ao chamado sistema de recompensa do cérebro. Quanto menor esse nível, maior a chance de que a mosca consuma álcool.
Como se trata de uma relação química, a descoberta pode ser desenvolvida a ponto de explicar mecanismos do alcoolismo em humanos. A pesquisa foi divulgada pela “Science”, uma das mais prestigiadas revistas científicas do mundo, nesta quinta-feira (15).

quarta-feira, 21 de março de 2012

Charge McBaratas

O chargista Maurício Ricardo não perde uma! Aproveitando a história do McDonalds, comentada no post anterior, vejam a charge que ele fez:

terça-feira, 20 de março de 2012

Com baratas, McDonald's fecha por três dias em Porto Alegre



Reportagem da folha.com

FELIPE BÄCHTOLD
DE PORTO ALEGRE

Uma lanchonete do McDonald's ficou fechada por três dias em Porto Alegre após a Vigilância Sanitária constatar problemas de higiene, como presença de baratas.
O restaurante foi fiscalizado no sábado (17) e interditado em seguida. Além de ordenar uma desinsetização no local, o órgão de saúde da Prefeitura de Porto Alegre diz ter encontrado também excesso de gordura em equipamentos da lanchonete.
Após nova vistoria na segunda-feira (19), os fiscais verificaram que ainda havia problemas no estabelecimento. O local funciona na praça de alimentação do shopping Praia de Belas, na região central da capital gaúcha.
Nesta terça-feira, após nova visita da Vigilância Sanitária, os responsáveis pela lanchonete conseguiram autorização para voltar a abrir.
A assessoria do shopping diz que quem deve se manifestar sobre o caso é o McDonald's.
Procurada, a empresa, por meio de sua assessoria de imprensa, informou apenas que está em dia com a documentação e higienização do restaurante e que o local já opera normalmente.


Comentário Blog das Pragas

Apesar desta situação não ser tão comum nas grandes redes, todos os estabelecimentos que lidam com alimentos são vulneráveis a este tipo de problema. Muitos restaurantes realizam o controle de pragas a cada seis meses. Este prazo é o aconselhável para residências, mas para estabelecimentos alimentícios sugiro que este controle seja feito no mínimo com visitas mensais. Em grandes redes, onde a circulação de pessoas e mercadorias é muito intensa, deve ser feito um acompanhamento permanente, com visitas de inspeção quinzenais ou até semanais. O problema é que isto custa dinheiro e, por isso, muitas vezes é deixado em segundo plano.
A principal causa de problemas em lanchonetes á a barata Blatella germanica, mais resistente e de reprodução mais intensa que as baratas comuns.

segunda-feira, 5 de março de 2012

A Importância dos Morcegos


Morte de morcegos pode causar prejuízos econômicos e ambientais

A morte de morcegos pode trazer um prejuízo anual de R$ 6 bilhões para a agricultura americana por gastos com pesticida e queda de produtividade. Atualmente, as populações do animal sofrem um grave declínio nos EUA. Os autores do estudo publicado na Science afirmam que as conclusões servem de alerta para outros países, entre eles o Brasil. 

Cerca de 1 milhão de morcegos americanos morreram nos últimos anos. Com isso, até 1,3 mil toneladas de insetos deixaram de ser devoradas anualmente, ameaçando cultivos e florestas. "Sem dúvida, morcegos insetívoros também desempenham um papel importante no controle de pragas no Brasil", afirma o autor do artigo, Justin Boyles, da Universidade de Pretória, na África do Sul.
Os pesquisadores Susi Pacheco, do Instituto Sauver, em Porto Alegre, e Carlos Esbérard, da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), realizaram um cálculo semelhante ao dos americanos. "Cerca de 500 morcegos insetívoros, cada um pesando 10 gramas, consumiriam 6 toneladas de insetos por ano", pondera Susi. "Além disso, como há uma grande diversidade de morcegos no Brasil, eles realizam outros serviços importantes para a regeneração de florestas: polinização e dispersão de sementes", pondera Boyles.
O brasileiro Marco Mello, pós-doutorando da Universidade de Ulm, na Alemanha, publicou há um mês um artigo na PLoS One sobre as interações entre plantas frutíferas e morcegos no Brasil. Eles constituem o segundo grupo dispersor de sementes mais importante. Perdem apenas para as aves.
Mello mostrou que as redes de alimentação que envolvem morcegos são mais suscetíveis à extinção que as que envolvem aves. Na prática, o desaparecimento de uma espécie causa um impacto maior na saúde do ecossistema. Outros estudos apontam que os morcegos costumam cuidar da dispersão das sementes de plantas pioneiras - aquelas que iniciam um processo de reflorestamento. As aves seriam responsáveis principalmente pelas árvores mais tardias. Ou seja, em áreas degradadas ou fragmentadas, os morcegos desempenhariam um papel importante.
Fonte: Terra Ciência
Postagem compartilhada do blog Tudo de Bio