quarta-feira, 25 de abril de 2012


ARTIGO DO DIÁRIO DE BIOLOGIA

Conheçam as incríveis superformigas!

A natureza dos insetos sempre nos surpreendendo. E quem imagina que “super inseto” é coisa de 300 milhões de anos atrás, está enganado. Existe um gênero de formigas (Pheidole) capaz de produzir superformigas-soldados muito maiores que o normal, geralmente com a cabeça e mandíbula muito desenvolvida e que podem assustar qualquer inimigo. E o objetivo é mesmo este!
Através de uma dosagem mais elevada de hormônio juvenil na fase larval, super soldados se desenvolvem. Na verdade, em todas as formigas a quantidade de hormônio juvenil na fase larval determina o destino quando adultas. Se os níveis desse hormônio forem baixos, as larvas vão se tornar pequenas formigas operárias; se os níveis do hormônio ultrapassarem um limite máximo, as larvas continuarão a crescer e, por fim, irão se transformar em formigas-soldados. As larvas, que no início eram como outra qualquer, recebem uma dosagem ainda maior do hormônio que excedem a quantidade ideal para a obtenção de formigas soldados normais. Esta dosagem excessiva faz com que a metamorfose das formigas seja mais longa, permitindo que elas cresçam ainda mais e se tornem superformigas-soldados.
As super formigas não tem outra utilidade que não seja proteção do formigueiro. Com suas cabeças muito maiores elas fecham a entrada do ninho não permitindo que intrusos se atrevam, e caso esses resolvam encarar, as super soldados ainda possuem mandíbulas gigantescas e uma força além do normal. Na Science, os pesquisadores garantem: qualquer espécie pode se tornar uma super formiga, desde que a dosagem de hormônio juvenil se exceda o segundo limite!

segunda-feira, 2 de abril de 2012

Rato do tamanho de gato assusta população nos Estados Unidos

Um exemplar do rato gigante da Gâmbia

Douglas C. Pìzac/Associated PressUm exemplar do rato gigante da Gâmbia

ARTIGO DA FOLHA.COM
Uma espécie de rato africano que há dez anos tem sido combatido no sul da Flórida, nos Estados Unidos, voltou a incomodar a população depois de ter sido dado como erradicada.
Pesando em média 4 kg e com comprimento de até 90 cm da cabeça a ponta do rabo, os ratos têm o tamanho de gatos domésticos.
Os roedores teriam chegado ao país trazidos por um colecionador de animais exóticos e se alastrado pela região depois da fuga de oito deles.
A região foi considerada livre dos animais em 2009 pela Comissão de Conservação da Vida Selvagem da Flórida, mas foram encontrados sinais do retorno dos ratos vindos da Gâmbia dois anos depois.
O rato gigante é considerado um problema pelo desequilíbrio ambiental que eles podem causar e pelas doenças transmitidas pelo animal, como a "varíola dos macacos", que atingiu alguns lugares dos EUA em 2003.